Quem gosta de Francesinhas? A sua história…

As francesinhas nasceram no Porto, “inventadas” na década de sessenta por um emigrante regressado de França.

Ele decidiu dar um toque especial a uma receita tipicamente francesa, chamada “croque-monsieur”. Esta especialidade típica é um snack muito apreciado nos restaurantes e cafés franceses.

Este iluminado homem teve a feliz ideia de improvisar e adaptar este prato aos nossos ingredientes e à nossa cultura, adicionando ao nosso paladar a magia de um molho que é a alma da receita.

Transformou um “simples” “croque-monsieur” em algo com mais alma, a transbordar de vida e de substância. Algo que qualquer português ou portuense nunca teria imaginado ser possível comer até à altura.

Depois do caldo verde, das tripas, da broa e do bacalhau à Gomes de Sá, eis então que nasce a única receita gastronómica original portuense do século XX. A Francesinha.

Este “estrondoso” prato é hoje em dia uma das mais apreciadas iguarias da cidade, e é a especialidade de vários restaurantes locais.

A francesinha é portanto um prato do povo, para o povo comer, e presentemente com imensas variantes de receitas, como é o caso das vegetarianas. Mas sempre com o mesmo espírito, de maneira a satisfazer todos os diferentes gostos das nossas gentes.

As boas Francesinhas comem-se no Porto.

Adoramos o Porto, onde vamos com alguma regularidade. Temos lá amigos de coração, gente genuína que nos acolhem de braços abertos.

Sempre que vamos fazemos questão de degustar uma bela francesinha. As melhores, as da D. Lina!!!

Mas, como gostamos de cozinhar e de experimentar coisas novas. Já experimentámos fazer Francesinha, e não é que ficou bem boa… 

Vejam só o aspecto, deliciosa!